Maltose X diabetes

Antes de falar sobre diabetes e maltose, esclareço que não tenho formação acadêmica em nutrição ou medicina, mas em direito. Sou diabética há 27 anos e minhas conclusões são fruto de observação do meu comportamento glicêmico e de meus amigos e colegas diabéticos, e também da minha enorme curiosidade e vontade de entender o que acontece no meu corpo, o que me faz buscar informações.

Há alguns meses minha glicemia começou a se elevar muito rapidamente após o desjejum. A princípio, julguei que a dose basal do horário precisava ser aumentada. Mas, mesmo aumentando a dose de duas horas antes do horário do café da manhã, após a refeição a glicemia continuava subindo, e algum tempo depois caía veritignosamente. Voltei então a basal à dose anterior e testei modificar o pão que estava comendo (da marca Peter Pão) para um da Wickbold, e a glicemia parou de subir depois do desjejum.

Incomodada com o fato, enviei um e-mail à empresa Peter Pão, questionando-os se de fato o produto era feito sem açúcar, como dizia na embalagem. A empresa, bastante atenciosa, respondeu informando que não havia açúcar na composição do produto, que usava como substituto o extrato de malte.

Pesquisando sobre o assunto, descobri que “Malte” é um termo geral utilizado para várias coisas associadas com maltose. Maltose é a principal substância de reserva da célula vegetal, é também a junção de duas moléculas de glicose. Ao realizar a digestão o amido passa a ser primeiramente maltose e depois glicose. A Maltose é encontrada em vegetais, e tem função energética.

maltose

Maltagem é o processo no qual o grão de cereal é umidificado para iniciar o processo de germinação. Quando a semente germina, ela ativa enzimas que começam a converter suas reservas de amido e proteínas em açúcares e aminoácidos, os quais serão utilizados no crescimento da planta. O objetivo de maltar um grão é liberar estas enzimas para sua utilização no produto final.

Desta forma, embora o produto não contenha açúcar, se contiver maltose (extrato de malte e quaisquer outros subprodutos de malte), composta por duas moléculas de glicose, pode acarretar a elevação da glicemia de um diabético tão rápido quanto o açúcar refinado, sendo, portanto, não recomendado seu consumo pelos portadores de diabetes com grande sensiblidade à composição dos alimentos.

Já comia os produtos da marca Peter Pão antes de usar a bomba de infusão de insulina, mas, quando fazia o tratamento com a lantus, meu corpo não reagia ao malte. Agora, com a terapia com a bomba de infusão de insulina, e considerando que a minha dose basal é bastante pequena, minha sensibilidade à composição dos alimentos mudou bastante. Em regra, quanto menor a dose basal, maior a sensibilidade à composição dos alimentos, e quanto maior a dose basal, menor a sensibilidade. Assim, comecei a evitar o extrato de malte.

Todavia, nem sempre a marca é garantia de composição nutricional. Depois do episódio com o Peter Pão, comecei a comprar apenas pães da Wickbold.  Mas esta semana, mais uma vez, minha glicemia começou a se elevar depois do desjejum. Verificando a embalagem do pão – Wickbold 10 grãos – constatei que ele continha farinha de malte em sua composição. Já sabendo que o problema não era a dose basal, mas o malte, comprei outro pão, da mesma marca, sem malte em sua composição, e minha glicemia pós-desjejum voltou ao normal.

 48097

 

Sobre deboraligieri

Advogada e blogueira na área de saúde com ênfase em diabetes. Idealizadora do fórum "Diabetes e Democracia". Escreve também na Rede HumanizaSUS.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Maltose X diabetes

  1. Bruna disse:

    Muuuito bom saber disso!
    Estou na mesma situação de começar a contar carboidratos em função da diabetes..
    Vou continuar a acompanhar o seu blog.. muito interessante este post!
    Abraços

  2. jose eduardo disse:

    Não sou diabético,mas ultimamente meu açúcar começou a subir.Não como açúcar há alguns anos,pois minha família tem alta propençao ao diabetes.Minha avó materna era diabética,minha mãe também e tenho um irmão diabético.Até o começo do ano meu açúcar estava em torno de 100,mas como fiz abusos excessivos em massas,arroz e algumas doses de chopp e cerveja,na ultima medição na semana passada estava com 116.Alem disso engordei nesse período 3 kilos!!
    Gostei de seu blog,pois estava comendo alimentos com dextrose e maltose.Agora,já entrei em um bom regime e já perdi 900 grs em 7 dias.Ando todos os dias 6 kilometros e espero baixar meu açúcar sem precisar de tomar remédio.
    Obrigado pela dica sobre essa ingrediente.
    Jose Eduardo(75 anos),

  3. YaS disse:

    Tire o glúten da dieta, incluindo a margarina. Você não faz ideia de quanto isso ajuda!


    • deboraligieri disse:

      Essa é uma outra opção, mas ainda não considero tirar o glúten da minha dieta alimentar. Mesmo porque, faço todas as refeições em casa, e elas são compostas basicamente de peixes, legumes, verduras e frutas. Como o pão apenas no café da manhã. Margarina e manteiga, assim como carne, consumo apenas em raras ocasiões. Minha glicemia fica bem controlada com esta dieta, que me satisfaz também o paladar. Com glúten ou sem glúten, o importante é a pessoa sentir prazer com o que come e conseguir manter a saúde. Abraços. Débora

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s